São Martinho

Viver em São Martinho

Iyna Bort Caruso

São Martinho é uma ilha pequena de aproximadamente 96 quilómetros quadrados e 37 praias. Ainda assim, tem um impacto internacional. Pessoas oriundas de todo o mundo chamam a ilha de casa.

A ilha situa-se entre o Atlântico e as Caraíbas, a sudeste de Porto Rico. Um aeroporto internacional no lado holandês disponibiliza serviços de transportes aéreos de e para muitas das principais cidades norte-americanas e europeias. Nova Iorque fica a apenas três horas e meia e Miami a duas horas e meia de avião.

A parte norte da ilha é Saint-Martin, uma colectividade francesa ultramarina. A moeda oficial é o Euro e aplica-se a lei francesa.

A parte sul da ilha é Sint Maarten, que se tornou oficialmente um país dentro do Reino da Holanda em 2010. A moeda oficial é o Florim das Antilhas Holandesas, embora o Dólar americano seja amplamente aceite em toda a ilha.

A população divide-se em duas partes relativamente iguais. No entanto, dois terços do território é francês, com a maior parte da área construída a situar-se ao longo das zonas costeiras baixas. O lado francês é mais pacífico e as suas maravilhas naturais mais proeminentes. O lado holandês possui a única verdadeira cidade da ilha (a capital de Philipsburg), com um porto de cruzeiros e vários casinos.

Casas lindamente decoradas e pintadas em tons de pastel são uma tradição. O arquitecto Ali Tur deixou a sua marca aqui nos anos 1930, quando acrescentou uma mistura moderna e inovadora ao estilo clássico das Índias Ocidentais no lado francês, enquanto casas parcialmente construídas e decoradas com madeira são mais comuns no lado holandês.

Não há restrições sobre a aquisição de imóveis por compradores internacionais, muitos dos quais aproveitam o mercado de arrendamento que anda sólido e consistente. Compradores norte-americanos e do Norte da Europa são atraídos pelas opções de comprar casas de férias.

Terres Basses ("Terras baixas francesas") é uma comunidade fechada exclusiva de propriedades glamorosas construída sobre colinas onduladas. A área de Baie-Orientale (Baía Oriental) é às vezes chamada a Riviera Francesa das Caraíbas. Porto Cupecoy, situado numa enseada na Lagoa da Baía de Simpson, noutro lado da fronteira de Terres Basses, é uma aldeia de inspiração mediterrânea com uma marina com capacidade para grandes embarcações de recreio.

O estilo de vida náutico é muito popular na ilha e é reforçado por uma selecção requintada de moradias à beira-mar e docas privadas.